Busca: OK
Acesso Rápido:

Centro de diagnósticos

O Centro de Diagnósticos foi inaugurado em 29/03/2012, onde a tecnologia avançada se associa a profissionais extremamente qualificados e preparados para oferecer aos nossos clientes um atendimento diferenciado buscando sempre a excelência no atendimento e na prestação de serviços.

Serviços de Imagem

Radiologia Digital

clique para abrir

Apesar do grande avanço tecnológico do diagnóstico médico por imagem, o Raio x continua sendo o primeiro exame na avaliação de inúmeras doenças. As radiografias exercem um papel fundamental no diagnóstico de muitas lesões ósseas, pulmonares ou dos aparelhos digestivo e genito-urinário. O aprimoramento tecnológico permitiu o desenvolvimento de equipamentos capazes de obter radiografias de excelente qualidade com o mínimo de irradiação para o paciente.

Ecografia Geral

clique para abrir

Ecografia Geral A ecografia ou ultrassonografia é um método inócuo e seguro, que representa a primeira escolha para avaliação de estruturas abdominais e pélvicas, sendo o método mais econômico e essencial em medicina interna, ginecologia e obstetrícia, como também em músculo esquelético e pequenas partes (testículos, tireóide, mama e glândulas salivares).

A onda de ultrassom é refletida pelos órgãos e captada por um transdutor, que acoplado a um computador faz um mapa anatômico da região estudada. Métodos auxiliares vêm crescendo e otimizando o estudo ultrassonográfico, como o Doppler Obstétrico e Vascular. Estes recursos eliminam muitas vezes a utilização de métodos invasivos e de maior custo, além de agilizar o diagnóstico.

Ecografia Vascular com Doppler Colorido

clique para abrir

É um exame muito útil para diagnóstico de doenças das artérias e das veias. Nas veias, pode ser feito o diagnóstico das tromboses e a avaliação, quando necessária, das varizes. Podem ser diagnosticadas também, não só o entupimento, mas as dilatações arteriais (aneurismas).

Mamografia

clique para abrir

A Mamografia é um exame que permite o diagnóstico precoce do câncer e de outras lesões da mama. Sua realização de rotina anual é muito importante na detecção precoce de nódulos com chance de cura completa. O exame é realizado de maneira ágil através de equipamentos digitais
com grande detalhamento da anatomia da mama o que vem possibilitando diagnósticos precoces e tratamentos mais efetivos. As imagens digitais propiciam maior visibilidade da mama, realizando exames com mais conforto, precisão e qualidade diagnóstica, em menor tempo.

Densitometria Óssea

clique para abrir

Densitometria Óssea A osteoporose é uma doença sem sintomas aparentes, a não ser fraturas que ocorrem quando os ossos já se encontram significativamente fracos. Mas antes de ocorrerem às fraturas, o médico deve analisar os fatores de risco para a doença, juntamente com o histórico médico da pessoa,e determinar a necessidade de um exame de densitometria óssea.

O exame é importante por ser capaz de detectar perdas mínimas de densidade mineral óssea, inclusive, antes de a osteoporose se desenvolver. É utilizada como uma ferramenta para acompanhar a evolução da doença, além de possibilitar um monitoramento do tratamento que está sendo utilizado.
A densitometria óssea é um exame que mede a massa óssea, que é o principal fator ligado ao risco de fraturas. Trata-se de um exame rápido e de fácil execução. O procedimento dura apenas 15 minutos, é um exame indolor.

O exame de densitometria deve ser realizado nos seguintes casos:
- Mulheres na menopausa e pós-menopausa.
- Mulheres abaixo dos 45 anos e com deficiência de estrogênio.
- Mulheres com mais de 65 anos.
- Mulheres com amenorreia secundária prolongada (mais de um ano).
- Homens acima de 70 anos.
- Pessoas que apresentem perda de estatura (mais de 2,5cm).
- Pessoas com anomalias vertebrais.
- Mulheres com índice de massa corporal (IMC) abaixo de 19 kg/m.
- Pessoas que sofrem de doenças ou utilizam medicações relacionadas à perda de massa óssea.
- Monitoramento do tratamento para osteoporose.
- A critério do seu médico.

Tomografia

clique para abrir

A Tomografia Computadorizada revolucionou a medicina pela sua capacidade de realizar cortes finos do corpo humano, permitindo pela primeira vez a identificação adequada dos órgãos internos. Utilizando Raios X e de uma aparelhagem complexa acionada por computadores de alta tecnologia consegue obter imagens através de fatias do corpo. O estudo detalhado dos órgãos abdominais e do crânio, por exemplo, só foi possível com o aparecimento da Tomografia Computadorizada.

Os novos aparelhos produzem imagens em múltiplos planos e tridimensionais com precisão milimétrica, sendo possível o estudo detalhado de qualquer parte do corpo, inclusive exames angiográficos, antes só disponíveis através de técnicas invasivas.

Ressonância Magnética

clique para abrir

A Ressonância Magnética é um método que não utiliza radiação e produz imagens de altíssima resolução do corpo humano sendo, portanto completamente inofensiva para o corpo humano. Permite além de avaliação anatômica detalhada das estruturas do corpo e estudos angiográficos contrastados dos vasos sangüíneos do corpo.

Este equipamento, além da tecnologia avançada por ser em campo aberto, oferece maior conforto aos pacientes que apresentam fobia em ambientes fechados.

Serviços de Cardiologia

Ecocardiografia

clique para abrir

O ecocardiograma transtorácico bidimensional com Doppler a cores é um exame complementar da área da cardiologia que serve para avaliação estrutural e funcional cardíaca.  É um exame inócuo e seguro, realizado por um médico através de um transdutor de ultrassom colocado sobre o tórax do paciente, obtendo-se imagens do coração praticamente em tempo real e permitindo realizar a análise das câmaras cardíacas, válvulas e dos fluxos sanguíneos (pelo método de Doppler).

Pode haver limitações do método por restrição da aquisição de imagens devido à janela acústica desfavorável (entre as causas estão: alterações anatômicas do paciente, obesidade, doença pulmonar obstrutiva crônica, prótese mamária, feridas, curativos, entre outros).

Eletrocardiograma

clique para abrir

Exame que registra a atividade elétrica do coração, usado para avaliar o ritmo do coração e o número de batimentos por minuto, permitindo ao médico identificar arritmias cardíacas (alteração do ritmo do coração) e distúrbios na condução elétrica deste órgão.

O exame é realizado através de eletrodos dispostos em regiões pré-determinadas do corpo do paciente.

Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA)

clique para abrir

A Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) é o exame que mede a pressão arterial a cada 20 minutos, durante 24 horas, para a obtenção do registro da pressão arterial durante a vigília e o sono.

Tem como objetivo analisar o comportamento da pressão arterial não somente durante a vigília e o sono, como também durante eventuais sintomas como tontura, dor no peito e desmaio. Além disso, possibilita a avaliação da eficácia do tratamento anti-hipertensivo.

Como é feito

No dia e horário agendados, é feita a instalação do equipamento no paciente, que permanece com ele durante 24 horas.

O equipamento é composto por um monitor leve e pequeno - colocado na cintura - que conectado por um tubo plástico fino a uma braçadeira colocada no braço não dominante, exceto se houver alguma contraindicação.

A cada 20 minutos o monitor insufla a braçadeira e registra a pressão obtida.

Após as 24 horas, o paciente retorna ao local do exame para retirada do equipamento. O monitor é conectado ao computador e um software especialmente construído para esta função desenha um gráfico das pressões registradas nas 24h.

O exame deve ser realizado em um dia representativo da sua atividade diária. Assim, é fundamental manter as atividades rotineiras.

Será fornecido ao paciente um impresso chamado “diário de atividades” onde devem ser anotados os horários em que dormiu, acordou, almoçou, jantou, assim como eventuais sintomas e atividades ou eventos importantes.

Indicações
  • Suspeita de hipertensão do avental branco - condição na qual o paciente apresenta pressão acima do normal no consultório médico e pressão normal fora dele; quando o médico suspeita desta condição o exame pode estabelecer o diagnóstico correto.
  • Avaliação da eficácia do tratamento da hipertensão nas 24 horas, tanto no sono quanto na vigília.
  • Avaliação de sintomas, principalmente os relacionados à hipotensão (pressão baixa).
Contraindicações
  • Quando não é possível ajustar a braçadeira ao braço do paciente.
  • Quando o paciente apresenta valores muito elevados de pressão máxima, arritmias cardíacas ou parkinsonismo.
Preparo
  • Tomar banho antes do exame, pois não é recomendada a retirada do aparelho durante o exame.
  • Trazer um cinto de sua preferência para colocação do monitor na cintura.
  • Trazer a lista de medicamentos em uso com dose e horários preconizados.
  • Seguir a orientação do seu médico sobre a utilização das medicações de uso crônico e sobre a prática de exercícios físicos nas 24 horas que antecedem o exame.
  • HOLTER
Descrição:

Exame que permite estudar a atividade elétrica do coração durante período convencional de 24 horas. O eletrocardiograma será gravado, em um aparelho especial que o paciente transportará acoplado na cintura e conectado com eletrodos no peito, durante 24 horas de atividades habituais. Posteriormente, os "batimentos cardíacos" gravados serão analisados em um computador, para estabelecer o ritmo e os distúrbios do ritmo do coração, frente às atividades de vigília (acordado) e durante o sono. Além disso, pode-se avaliar e comparar os sintomas que porventura estejam presentes durante a gravação, juntamente com o aspecto morfológico do eletrocardiograma (achado de arritmias ou "isquemia").

Duração:

A colocação e retirada dos eletrodos é rápida, durando poucos minutos. No total são 24 horas de monitorizarão.

Holter

clique para abrir

Descrição:

Exame que permite estudar a atividade elétrica do coração durante período convencional de 24 horas. O eletrocardiograma será gravado, em um aparelho especial que o paciente transportará acoplado na cintura e conectado com eletrodos no peito, durante 24 horas de atividades habituais. Posteriormente, os "batimentos cardíacos" gravados serão analisados em um computador, para estabelecer o ritmo e os distúrbios do ritmo do coração, frente às atividades de vigília (acordado) e durante o sono. Além disso, pode-se avaliar e comparar os sintomas que porventura estejam presentes durante a gravação, juntamente com o aspecto morfológico do eletrocardiograma (achado de arritmias ou "isquemia").

Duração:

A colocação e retirada dos eletrodos é rápida, durando poucos minutos. No total são 24 horas de monitorizarão.

Preparo do paciente / Cuidados antes do exame:

Anotar medicamento(s) do(s) para o coração.

Alimentação normal.

Não suspender medicação em uso, trazendo anotados todos os medicamentos tomados nos últimos 7 dias.

24 h antes do exame: não utilizar cremes, pomadas, bronzeadores ou substância oleosa sobre a pele do tórax.

Fazer higiene pessoal (banho) o mais próximo possível do horário da colocação do gravador.

Vir com blusa aberta na frente e com cinto.

Recomenda-se a não fazer uma atividade física ou esportiva, que implique uma grande movimentação do tórax e sudorese abundante, poderia ter conseqüências de eventual desconexão parcial dos eletrodos.

O paciente receberá um diário onde anotará: medicamentos (nome, dose e horário de tomada), atividades (domésticas, trabalho, reuniões, trânsito, lazer, etc.), hábitos (ingestão de álcool , café e consumo de cigarros), período do sono (horário que dormiu e acordou, horário de eventuais interrupções durante o sono e avaliação de como foi a qualidade do sono) e, por último, a ocorrência de sintomas (tonturas , sensação de desmaio , desmaio , dor de cabeça , etc.)

Ergometria

clique para abrir

O teste Ergométrico é um exame de ampla utilização na medicina, cuja principal indicação é fornecer dados valiosos para o diagnóstico e tratamento do paciente. É utilizado para detectar alterações eletrocardiográficas ou clinicas, sugestivas de isquemia miocárdica, arritmias cardíacas, resposta da pressão arterial e frequência cardíaca durante o esforço, assim como avaliar a capacidade do indivíduo.

Outros Exames

Eletroencefalograma

clique para abrir

Exame que analisa a atividade elétrica cerebral espontânea, captada através da utilização de eletrodos colocados sobre o couro cabeludo.

É indicado em casos de suspeitas de alterações da atividade elétrica cerebral e dos ritmos cerebrais fisiológicos, epilepsia ou suspeita clínica dessa doença, pacientes com alteração de consciência e avalição diagnóstica de pacientes com outras doenças neurológicas e psiquiátricas.

Espirometria

clique para abrir

É o exame que avalia a capacidade pulmonar e serve para diagnóstico e acompanhamento de asma auxiliando no ajuste das medicações, na avaliação da saúde do trabalhador e é imprescindível quando se indica cirurgias de retirada de parte ou até mesmo de todo o pulmão, pois o exame vai avaliar quem tem reserva fisiológica para respirar normalmente após o procedimento.

Endoscopia

clique para abrir

Definição

Endoscopia digestiva alta é o exame detalhado do revestimento interno da porção superior do trato gastrointestinal, isto é, o esôfago (estrutura que liga a boca ao estômago), estômago e duodeno (primeira porção do intestino delgado), usando um aparelho, o endoscópio, composto por fino tubo flexível que possui lentes, circuitos eletrônicos e luz própria. Atualmente, o exame endoscópico é insubstituível, por ser o único que permite a coleta de material (biópsias) para confirmação do diagnóstico e, se necessário, a realização do tratamento endoscópico.

Indicações

São várias as indicações da endoscopia digestiva alta: dor abdominal a esclarecer, sangramento digestivo, dificuldade e dor à deglutição, diagnóstico e acompanhamento da úlcera gastro duodenal, diagnóstico das esofagites, acompanhamento dos pacientes com hérnia de hiato, acompanhamento do esôfago de Barrett, avaliação pós-cirúrgica da doença de refluxo, biópsias para pesquisa do Helicobacter pylori, retirada de pólipos, esclerose de varizes esofagianas, ligadura de varizes esofagianas, retirada de corpos estranhos, dilatações de estenoses do esôfago, dilatação de acalásia do cárdia, acompanhamento dos pacientes operados do trato digestivo alto, passagem de sondas enterais e nasogástricas, dentre outras.

A endoscopia alta é mais precisa que o exame radiológico para detectar inflamações, úlceras ou tumores (benignos ou malignos) do esôfago, estômago e duodeno. Ela pode detectar um câncer em fase inicial e também fazer a distinção entre uma condição benigna de uma maligna (câncer), através de biópsias (pequenas amostras do tecido) de áreas suspeitas. É importante lembrar que as biópsias são praticadas por vários motivos e não necessariamente quando se suspeita de câncer, por exemplo, na pesquisa do Helicobacter pylori que é um tipo de bactéria que está muito relacionada com a recidiva de úlceras dentre outras patologias.

Este exame serve também para tratar algumas doenças do trato gastrointestinal superior. Instrumentos podem ser introduzidos pelo endoscópio, permitindo o tratamento direto de lesões do aparelho digestivo, com pouco ou nenhum desconforto para o paciente, por exemplo: dilatação de áreas estreitadas, remoção de pólipos (geralmente crescimento benigno da mucosa), de objetos deglutidos ou tratamento do sangramento digestivo alto. O controle seguro e efetivo do sangramento têm reduzido a necessidade de transfusões e de cirurgia em muitos pacientes.

Preparo

Para um exame seguro e fidedigno, é necessário que se faça jejum de 12 horas.

É importante informar ao seu médico sobre medicamentos em uso, alergias a medicamentos, doenças pulmonares e ou cardíacas.

Com a finalidade de causar o menor desconforto possível ao paciente, é preconizado o uso de sedação geralmente endovenosa e, portanto, é imprescindível que a pessoa que irá ser submetida ao exame endoscópico esteja acompanhada por um adulto, porque os sedativos podem causar distúrbios de consciência e diminuição dos reflexos pelo resto do dia. Não será permitido dirigir após o exame, e não se devem realizar atividades que requeiram atenção ou coordenação.

O QUE VOCÊ PODE ESPERAR DO EXAME

O médico (endoscopista) provavelmente o interrogará sobre o(s) motivo(s) da realização da endoscopia, se há outros exames e as possíveis complicações deste procedimento serão expostas de forma sucinta. A rotina pode variar entre os médicos, mas a sua garganta será anestesiada com um spray e poderá ser aplicada uma medicação (sedação) por via endovenosa para fazer com que você relaxe durante o exame.

Enquanto estiver deitado sobre o seu ombro esquerdo, o endoscópio será passado através da sua boca e a seguir, do esôfago, estômago e duodeno. O aparelho não interfere na respiração durante o exame. Muitos pacientes consideram o exame algo desconfortável e muitos adormecem durante o procedimento.

O QUE ACONTECE APÓS O EXAME

Após o exame lhe será dado atenção em local apropriado (sala de repouso) até que todos os efeitos da medicação tenham passado. A sua dieta será liberada, a não ser que lhe sejam dadas outras orientações. Geralmente o médico lhe informará sobre o resultado do exame, logo após a sua realização. Entretanto caso haja biópsias, o resultado só estará disponível após alguns dias.

Complicações

O exame geralmente é seguro, principalmente se for realizado por profissional qualificado.Podem ocorrer complicações, mas estas são raras quando a endoscopia é realizada por médico experiente.

Pode ocorrer sangramento após uma biópsia ou remoção de um pólipo. Este é mínimo e raramente não há necessidade de internação, transfusões sangüíneas ou cirurgia. Pode ocorrer irritação no local (em alguns casos inflamação do vaso) onde foi aplicada a medicação venosa, mas essa logo estará resolvida. A aplicação de compressas mornas aliviará os sintomas.

Outros riscos incluem reação aos sedativos e complicações cardíacas ou pulmonares. Complicações maiores como perfuração, são muito raras. É importante que você reconheça os sinais de qualquer possível complicação. Caso tenha febre, dificuldade para engolir, aumento de volume do pescoço, tórax ou dor abdominal, informe ao seu médico imediatamente.

Colonoscopia

clique para abrir

Definição

Colonoscopia é um procedimento que permite que seu médico examine a parede do cólon (intestino grosso) à procura de anormalidades, inserindo um tubo flexível com espessura semelhante à do seu dedo indicador, através do ânus e avançando lentamente pelo reto, cólon (esquerdo e direito) e íleo terminal (última porção do intestino delgado).

Preparo

O cólon deverá estar totalmente limpo para que o exame seja completo. O seu médico lhe dará instruções detalhadas sobre as restrições alimentares e preparo do cólon a ser seguido. Geralmente o preparo consiste no consumo de grande volume de uma solução especial ou de líquidos claros, laxantes e enemas por alguns dias antes do exame. Siga cuidadosamente as instruções. Caso contrário, o exame poderá ser cancelado e repetido mais tarde. Lembre-se que cada serviço de endoscopia ou cada médico possui uma forma particular de preparo dos cólons.

E OS MEDICAMENTOS DE USO HABITUAL

A maioria dos medicamentos deve ser usada como de costume, porém, alguns podem interferir no preparo ou no próprio exame. É importante informar ao seu médico quais os medicamentos que costuma usar, assim como sobre qualquer alergia, vários dias antes do exame. Aspirina, medicações para artrite, anticoagulantes, insulina e produtos contendo ferro, devem ter o uso orientado antes do exame.

O QUE SE ESPERA DO EXAME

A colonoscopia é geralmente bem tolerada e raramente causa dor. Há, freqüentemente, sensação de pressão, inchaço ou cãibra em alguns momentos do exame. O seu médico lhe aplicará uma medicação intravenosa que o ajudará a relaxar e suportar melhor qualquer desconforto. Você ficará deitado de lado ou de costas enquanto o colonoscópio é avançado vagarosamente através do intestino grosso. Chegando-se ao íleo terminal ou ao ceco (última porção do cólon direito) o aparelho começa a ser retirado e o intestino vai sendo reexaminado. O exame geralmente dura de 15 a 20 minutos. Em alguns casos não é possível a passagem do colonoscópio através da junção do intestino grosso com o delgado (região do íleo terminal). Neste caso será decidido se há necessidade de outros exames para completar a investigação.

E SE FOR DETECTADO ALGO ANORMAL DURANTE A COLONOSCOPIA

Se o seu médico achar que há necessidade de uma avaliação mais detalhada de determinado local do seu intestino, será passada uma pinça através do colonoscópio para que seja feita uma biópsia. O material será enviado ao laboratório de patologia para análise. Caso a colonoscopia esteja sendo realizada para identificar áreas de sangramento, estas poderão ser controladas.

GASTROSTOMIA ENDOSCÓPICA PERCUTÂNEA (PEG)

clique para abrir

DEFINIÇÃO

A gastrostomia endoscópica percutânea é um método empregado para fornecimento de dieta enteral por tubo colocado no estômago (gastrostomia) por endoscopia (via endoscópica) através da pele (implantação percutânea) para suporte nutricional adequado de pacientes que não conseguem fazer uso adequado de dieta oral por ingesta insuficiente ou por alterações anatômicas no trato gastrointestinal superior ou que necessitem fazer uso de dieta por sonda nasoenteral por tempo prolongado. As principais indicações da gastrostomia endoscópica são os distúrbios de deglutição secundários a doença de Alzheimer, acidente vascular cerebral, neoplasias de cabeça e pescoço e neoplasia de esôfago.

QUAL O PREPARO PARA O EXAME

Deve-se interromper uso de inibidores de bomba protônica (IBP): esomeprazol, lansoprazol, omeprazol, pantoprazol ou rabeprazol por no mínimo 48 horas antes do exame e de aspirina (AAS) ou clopidogrel por 7 dias antes do procedimento. Caso o paciente necessite do uso contínuo dessas medicações ou adicionalmente faça uso de anticoagulantes, seu médico assistente deve orientar e autorizar a sua interrupção.  Para realização do procedimento é necessário que o estômago esteja vazio.

O paciente deverá permanecer em jejum completo por 8 horas. Se houver necessidade do uso de alguma medicação prescrita (por exemplo, anti-hipertensivos) antes do exame, ele deve tomá-la com pequenos goles de água. Uso de leite ou de anti-ácidos deve ser evitado. O uso de grande parte das medicações de uso crônico pode ser postergado para após o exame. Caso o paciente seja diabético, ele não deve fazer uso de insulina ou dos hipoglicemiantes orais no dia do exame. O controle dos níveis glicêmicos será realizado durante sua internação, a critério médico. Deve-se evitar uso de unhas pintadas, porque o esmalte prejudica a monitorização da oxigenação sangüínea durante o exame.

Antes do exame, é necessário o preenchimento da ficha de admissão e do termo de consentimento informado pelo paciente ou pelo seu representante legal. O médico e/ou a enfermeira estarão disponíveis para explicar o procedimento e responder a todas as perguntas pertinentes ao exame. Por favor, informe a realização de outro exame de endoscopia, história prévia de alergias ou reações a qualquer medicação. Óculos e próteses dentárias devem ser removidos.

O QUE ACONTECERÁ DURANTE O EXAME

O exame será realizado sob sedação ou anestesia sob supervisão de um anestesista, para evitar dor e desconforto por parte do paciente.  Após o paciente relaxar e dormir, será introduzido aparelho de endoscopia digestiva alta pela boca para visualização e completa avaliação do esôfago, estômago e duodeno. Posteriormente, será realizada insuflação do estômago para determinar o local de colocação da gastrostomia (geralmente no lado esquerdo do abdômen). Neste local, após desinfecção e anestesia local, será realizado um pequeno corte na pele através do qual introduziremos o tubo de gastrostomia.   Após o termino do procedimento o paciente retornará ao seu leito de origem.    

QUAIS OS RISCOS DO PROCEDIMENTO

A gastrostomia endoscópica percutânea inclui procedimento de endoscopia digestiva alta e gastrostomia percutânea por via endoscópcia. Os riscos do procedimento são inferiores àqueles observados com gastrostomia cirúrgica e envolvem os riscos associados ao exame endoscópico e aqueles relacionados à realização da gastrostomia.

A endoscopia digestiva é um exame seguro. No entanto, como todo ato médico, ela não é isenta de riscos. A complicação mais freqüente é flebite (dor e inchaço no trajeto da veia puncionada) que pode acontecer em até 5% dos casos, a depender da medicação utilizada para sedação e rinite secundária a administração de oxigênio por cânula nasal. Complicações mais sérias são raras ocorrendo em menos de 0,2% dos casos, podendo estar relacionadas ao emprego de medicamentos sedativos ou ao próprio procedimento endoscópico.  As medicações utilizadas na anestesia podem provocar reações locais (flebite no local da punção venosa) e sistêmicas de natureza cardiorespiratória, incluindo depressão respiratória com diminuição na oxigenação sangüínea e alterações no ritmo cardíaco (bradicardia e taquicardia) e na pressão arterial sistêmica (hipotensão e hipertensão).  Esses efeitos colaterais são constantemente monitorizados durante o exame com o uso de monitor de oxigenação sangüínea e de controle da freqüência cardíaca, estando a equipe habilitada para o tratamento imediato de qualquer uma dessas complicações.

As principais complicações associadas à gastrostomia são: extravasamento de suco gástrico e/ou dieta pelo óstio da gastrostomia; inflamação do óstio da gastrostomia por irritação química (suco gástrico) e infecção do óstio com drenagem de secreção purulenta. A infeccção de óstio ocorre em 7%-20% dos pacientes, podendo ser reduzida com uso de antibioticoprofilaxia. Na ausência de celulite em expansão ou de sinais sistêmicos de infecção (febre), a infecção  do óstio é tratada com a intensificação dos cuidados locais com limpeza freqüente do óstio da gastrostomia com solução de clorhexidina. Caso seja necessário, antibióticos por via oral ou intravenosa podem ser necessários. Perfuração de outras vísceras e sangramento podem ocorrer excepcionalmente, requerendo algumas vezes tratamento cirúrgico.

LIGADURA ELÁSTICA DE VARIZES ESOFÁGICAS (LEVE)

clique para abrir

DEFINIÇÃO

A ligadura elástica é considerado o melhor procedimento para o tratamento das varizes de esôfago. Estas surgem em pacientes que possuem pressão aumentada da veia porta (hipertensão portal) que possui várias causas sendo a principal delas a cirrose hepática.

O procedimento é realizado para a prevenção da ruptura destes vasos evitando assim quadros de hemorragia digestiva. Também é utilizado para cessar um sangramento já causado por uma variz.

Durante o procedimento o paciente é sedado como em toda a endoscopia digestiva.

Então na ponta do aparelho é acoplado o dispositivo de ligadura elástica, ficando a manopla de disparo dos elásticos na outra extremidade do endoscópio, no local onde o endoscopista realiza as manobras com o aparelho.

Após a introdução do aparelho o endoscopista identifica as veias dilatadas (varizes) e aspira o ponto a ser ligado para dentro do dispositivo. Após isto, gira o dispositivo de ligadura soltando o anel de borracha, que estrangula a porção da variz que foi aspirada.

Este estrangulamento faz a variz diminuir de tamanho até "secar". Este processo dura cerca de 2 semanas. As sessões são repetidas geralmente a cada 15 dias até o desaparecimento das varizes. Geralmente são necessárias de 3 a 6 sessões para o tratamento completo.

Após o procedimento o paciente pode sentir no primeiro dia um certo desconforto para engolir, que é normal e passa em cerca de 3 dias. Por isto, neste período o paciente deve fazer dieta liquida e depois pastosa. Também deve evitar alimentos e liquidos quentes que podem fazer soltar os anéis de borracha antes do tempo e predispor a sangramento.

Teste da Orelhinha

clique para abrir

O teste da Orelhinha, ou triagem auditiva neonatal, é um exame preventivo que deve ser feito no recém-nascido preferencialmente entre o 3º e o 15º dia de vida do bebê. É um exame muito simples, rápido e indolor e pode ser feito com o bebê dormindo ou mamando no peito da mãe.

Este exame é recomendado mundialmente como o principal instrumento para assegurar, nos primeiros anos de vida, a SAÚDE AUDITIVA, pois a audição é fundamental para a aquisição e desenvolvimento da linguagem verbal e integração social.

A surdez é o déficit sensorial mais comum nos seres humanos, cujo diagnóstico ainda é tardio, por volta dos 3 anos. A alta prevalência da deficiência auditiva é de 1 a 3 em cada 1.000 recém-nascido, para crianças sem risco. Para cada 100 crianças internadas em UTI, de 2 a 4 crianças apresentam surdez.

Teste do Olhinho

clique para abrir

É um exame simples, rápido e indolor, que consiste na identificação de um reflexo vermelho, que aparece quando um feixe de luz ilumina o olho do bebê. O fenômeno é semelhante ao observado nas fotografias. Para que este reflexo possa ser visto, é necessário que o eixo óptico esteja livre, isto é, sem nenhum obstáculo à entrada e à saída de luz pela pupila. Isso significa que a criança não apresenta nenhum obstáculo ao desenvolvimento da sua visão.

A criança não nasce sabendo enxergar, ela vai aprender assim como aprenderá a sorrir, falar, engatinhar e andar. Para isso, as estruturas do olho precisam estar normais, principalmente as que são transparentes. A visão se desenvolve 90% durante os dois primeiros anos de vida. Portanto, é durante esta fase que a criança aprende a fixar, a movimentar os olhos de maneira conjunta, a perceber profundidade. Os outros 10% do desenvolvimento visual ocorrem até 7-9 anos de idade.

Toda e qualquer alteração durante esta fase que não tenha sido corrigida pode acarretar prejuízos na visão para o resto da vida.

Além disso, o desenvolvimento motor da criança durante o primeiro ano de vida é diretamente relacionado à sua capacidade visual. O que muitas vezes parece ser um atraso de desenvolvimento pode, na verdade, ser deficiência visual, facilmente diagnosticada e, na maioria das vezes, tratada.

O “Teste do Olhinho” pode detectar qualquer alteração que cause obstrução no eixo visual, como catarata, glaucoma congênito e outros problemas cuja identificação precoce possibilita o tratamento no tempo certo e o desenvolvimento normal da visão.

Análises Clínicas - Laboratório Blauth

clique para abrir

O Laboratório Blauth atua em Sapiranga em parceria com o Hospital, mantendo assim sua presença junto à área de saúde, por no mínimo três gerações.

Equipamentos modernos, equipe de profissionais, todos qualificados com cursos em Biomedicina e Bioquímica com mestrado, bem como especialistas em análises clínicas.

Marque seu exame

Para mais informações e marcação de exames,
ligue para nosso Call Center, pelo telefone: (51) 3599-8100