Busca: OK
Acesso Rápido:

A importância do brincar

Todos os indivíduos já nascem e crescem com a vontade e necessidade de brincar. É algo natural; e ao contrário do que muitos pensam, é algo que vai muito além de apenas ser um entretenimento da criança. Para ela, o brincar é a sua primeira forma de se relacionar com o mundo e desenvolver habilidades motoras e cognitivas.

            É nos jogos e brincadeiras que a criança tem uma condição de expressar seus sentimentos e desprazeres. Para ela, o brinquedo se torna a sua linguagem e forma de manifestação.  

            O brincar, consequentemente, é importante tanto no meio escolar quanto no familiar. Na escola e na família, os momentos lúdicos auxiliam a desenvolver capacidades como imaginação, imitação e observação. Em casa, é também um significativo meio de aumentar a confiança e vínculo entre pais e filhos. 

            Na primeira infância, as crianças desenvolvem a brincadeira do faz de conta. Essa atividade, de imitar situações cotidianas, permite que as crianças se relacionem com problemas e soluções. Enquanto um adulto vê somente uma criança brincando de casinha ou fingindo ser um motorista, para ela, é o momento da mudança do fazer imaginário para o aprender real.

            Mais tarde, quando os pequenos estão aptos a se relacionar com outras crianças, o brincar resulta na aprendizagem do compartilhar, do cooperar e do competir.

         Os jogos são auxiliares na hora de aprender regras e desenvolver resiliência, atenção e memória. As brincadeiras de educação-física também são indispensáveis. Correr, pular ou praticar outros exercícios é extremamente importante, pois eles melhoram o controle corporal, a noção de espaço e demais habilidades como força, flexibilidade e resistência.

Dessa forma, o mais importante para a criança é o brincar, não o brinquedo. É essencial utilizar-se de jogos e brincadeiras que estimulem os sentidos. Já que através deles as crianças podem explorar e descobrir cores, formatos, texturas e sons. Brincar é, portanto, um processo constante de descobertas.

Por fim, cabe ao adulto entender que o desenvolvimento da criança é resultado de uma interação entre o natural confrontado ao meio e aos estímulos que ela recebe. Com isso OLIVEIRA (2002, p. 135) relata:

 

A experiência de conhecer crianças pequenas é muito interessante. Elas demonstram agir com inteligências e chamam nossa atenção pelas coisas que fazem, pelas perguntas que nos trazem. Desde seu nascimento, o bebê é confrontado não apenas com as características físicas de seu meio, mas também com o mundo de construção materiais e não materiais elaboradas pelas 239 gerações precedentes, das quais, de início, ele não tem consciência. Essas construções comportam dimensões objetivas (formas ou obras) e dimensões representativas, codificadas especialmente pelas palavras das línguas naturais, plenas de significações e de valores contextualizados.

 

 

Enfermeira Angélica Birck Sandri

 Referências

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL (ULBRA). O Lúdico na prática pedagógica-referencia-elaboração. Curitiba: Ibpex, 2010.219 p.

 

CORDAZZO, Scheila Tatiana Duarte e  VIEIRA, Mauro Luís. A brincadeira e suas implicações nos processos de aprendizagem e de desenvolvimento. Estud. pesqui. psicol. [online]. 2007, vol.7, n.1, pp. 0-0. ISSN 1808-4281. 

 

GUSSO, Ms Sandra de Fátima Krüger; SCHUARTZ, M. A. A criança e o lúdico: A importância do “Brincar”. 2012.Disponível em:<http://www.pucpr.br/eventos/ educere / educere2005/ anais Evento/documentos/com/TCCI057.pdf>. Acesso em: 05/09/2016

 

FONSECA,Adriana.Qual a importância de brincar? Disponivel em: <http:// educarpara crescer.abril.com.br/comportamento/qual-importancia-brincar-819559.shtml. Acesso em 06/09/2016

OLIVEIRA, Z. R. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.